Associação Japonesa de Santos – Bunkyonet

Sobre a Associação Japonesa de Santos

A Associação Japonesa de Santos é uma entidade civil sem fins lucrativos, que tem como objetivo promover a integração da comunidade nipo-brasileira, a preservação e divulgação da cultura japonesa, e o ensino da língua japonesa.

Com mais de seis décadas de existência, a história da entidade se mistura com a história da imigração japonesa no Brasil. O navio Kasato Maru trouxe os primeiros imigrantes ao Porto de Santos em 18 de junho de 1908, dando início à saga centenária. Muitos deles seguiram para o interior do Estado de São Paulo para trabalhar nas lavouras de café. Entretanto, várias famílias se fixaram na cidade.

A Associação Japonesa de Santos é sucessora da antiga Sociedade Japonesa de Santos, cujos primeiros registros datam de 1929 em uma escola mantida para ajudar no ensino dos descendentes de imigrantes. A escola e a antiga entidade funcionavam em um casarão adquirido com o apoio do governo japonês na Rua Paraná, 129, no bairro Vila Mathias.

No início da década de 1940, a eclosão da Segunda Guerra Mundial e as medidas nacionalistas do Estado Novo fizeram com que a Sociedade Japonesa de Santos mudasse seu nome para Sociedade Instrutiva Vila Mathias, para evitar prejuízos ao processo educacional da escola da comunidade nipônica.

O Brasil ingressou na Segunda Guerra Mundial junto aos grupo de países Aliados, que eram adversários do bloco do Eixo, o qual o Japão fez parte. Por conta disso, a comunidade japonesa sofreu duros impactos, como discriminações e restrições em território nacional. Uma das medidas foi uma ordem da Superintendência da Ordem Política e Social de 1943, que obrigou os japoneses e outros imigrantes das nações do Eixo a deixar a cidade – considerada área de segurança nacional – em um período de 24 horas. As atividades culturais e educacionais da entidade foram suspensas.

Após o fim da guerra e com uma minúscula quantidade de imigrantes japoneses em Santos, um decreto federal (9.727, de 03/09/1946) dissolveu as sociedades civis de imigrantes dos países do Eixo e transferiu o patrimônio destas entidades ao Governo Federal. Com isso, a Sociedade Japonesa de Santos foi dissolvida, e o casarão onde funcionava a escola na Rua Paraná foi incorporado ao patrimônio do governo brasileiro.

A segunda geração de imigrantes, os nisseis, buscou reerguer as atividades sociais e culturais quase dez anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial, por meio de clubes como a Associação Atlética Atlanta e o Estrela de Ouro Futebol Clube.

Em 1º de maio de 1952 surge a atual Associação Japonesa de Santos, sucessora da antiga Sociedade Japonesa de Santos. Além de reagrupar e reiniciar do zero a preservação e difusão da cultura, a entidade começou a luta para recuperar a sua sede que havia sido confiscada. Enquanto isso, as reuniões e atividades eram realizadas em outros locais, incluindo os próprios clubes nikkeis.

O casarão só foi reocupado pela comunidade nipo-brasileira em 2006, após mais de 40 anos de tentativas que envolveram diretores e voluntários da Associação Japonesa de Santos, e políticos das esferas municipal, estadual e federal. O termo de sessão do imóvel foi assinado em uma cerimônia realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, pelo então presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

O imóvel passou por uma grande reforma até ser reinaugurado oficialmente em 2008 pelo príncipe herdeiro Naruhito, durante as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil. Desde então, o casarão voltou a ser o ponto de referência da comunidade nipo-brasileira não só da cidade de Santos, mas também de toda a região.

Em 05 de dezembro de 2016, dez anos depois da reocupação do imóvel, o projeto de lei que autoriza a devolução definitiva do imóvel da sede da Associação Japonesa de Santos foi sancionado pelo presidente da República, Michel Temer. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União do dia seguinte. O texto tramitou no Congresso Nacional desde 1994.

A Associação Japonesa de Santos realiza vários eventos sociais e culturais todos os anos. Dentre eles está o Undokai, festividade esportiva que é a maior e mais antiga atividade da comunidade nipo-brasileira da região, e o Festival da Cultura Japonesa. Além dos eventos, a entidade também realiza eventos comemorativos especiais, palestras, exposições e recepção a autoridades.

Assim como sua antecessora, a Associação abriga uma escola dedicada ao ensino da língua japonesa, que conta com quatro salas de aula. A entidade também possui uma biblioteca, sala de informática, um dojô multiuso para apresentações culturais e de artes marciais e áreas de convivência e de reuniões.

A Associação Japonesa de Santos é mantida por anuidades pagas pelos seus membros, além de doações e receitas obtidas com eventos e atividades realizadas ao longo do ano. A entidade conta também com a atuação de voluntários que, além de ocupar cargos na diretoria e comissões, colaboram na organização e realização dos eventos.

Busca

Apoio

  • JICA
  • Bunkyo